Dra. Rita Leroi (11.09.1913 – 08.09.1988)

5e40de94-6d93-42a0-9ffe-07dc0f428aaaA médica alemã Dra. Rita Leroi esteve presente no Brasil e proferiu palestras em ao menos duas ocasiões nos primeiros anos do movimento médico antroposófico brasileiro: 1957 e 1982. A Dra. Gudrun Burkhard atribui a ela os impulsos para a criação da Weleda do Brasil, em 1959 e para a fundação da nossa ABMA em 1982. Ambos os movimentos foram cruciais para o estágio de desenvolvimento que alcançamos hoje no país.

Com essa singela homenagem queremos dirigir nossos pensamentos a esse ser humano admirável e manifestar nossos mais sinceros agradecimentos

…………………………………..

Dra. Rita Leroi  (Obituário)
por Twentyman LR. British Homoeopathic Journal. 1989; 78:55.

A morte súbita e inesperada da Dra. Rita Leroi em 8 de setembro de 1988, alguns dias antes seu aniversário de 75 anos, veio como um grande choque para todos os seus amigos e colegas em todo o mundo.

Ela nasceu na Alemanha, em 1913 e foi criada principalmente por sua mãe, que era uma jornalista. Ela frequentou a escola Waldorf de Stuttgart e cursou a faculdade comercial, trabalhando depois como jornalista por um ano antes de iniciar estudos de medicina. Casou-se com Hans von May e concluiu os estudos em Berna, trabalhando por cinco anos como residente no hospital.

Ela se tornou médica assistente na Clínica Ita Wegman em Arlesheim e por 18 anos, de 1946 a 1963, trabalhou como médica generalista na cidade da Basileia (Suíça). Foi durante o seu tempo na Clínica Ita Wegman que ela conseguiu estabelecer uma sólida relação interna e externa com o impulso médico antroposófico. Ela desenvolveu um profundo e contínuo interesse pelo câncer e pelo seu tratamento com Iscador.  Em 1954, ela se casou com o Dr. Alexandre Leroi, que era o líder da Sociedade para Pesquisa de Câncer e diretor do Instituto Hiscia em Arlesheim.  É nesse instituto que o Iscador é produzido e que pesquisas para muitos problemas oncológicos e iniciativas de desenvolvê-lo como um remédio efetivo são realizadas.

Em outubro de 1963, foi fundada em Arlesheim, a Clínica Lukas, dedicada ao cuidado e tratamento de pacientes com câncer e Rita Leroi tornou-se sua diretora. Com a morte de Alexandre Leroi em 1968, ela assumiu também a direção do Instituto de Pesquisa Hiscia. Em 1978, ela assumiu a presidência da Associação Internacional de Médica Antroposófica.

Neste quadro de suas atividades, Rita Leroi trouxe excelentes qualidades pessoais que enriqueceram tudo o que ela empreendeu, fossem atividades externas, encontros mundiais ou pessoais com amigos, colegas ou pacientes – em todas essas oportunidades podia-se sentir que ela estava firmemente presente. Dessa forma, ela também reconhecia as pessoas com quem se encontrava. Tudo ao seu redor tornava-se aquecido e humano. Ela tinha a capacidade de entrar em profundidade em cada uma das relevantes atividades que desenvolvia como líder, de tal forma que elevava fatos simples e corriqueiros em temas com significado humano, uma conquista verdadeiramente artística. Com todo o seu compromisso profundo com as necessidades do movimento médico antroposófico e sua visão pessoal a esse respeito, ela conseguiu desenvolver uma tolerância incrível e concessão de liberdade para aqueles que diferiam dela em atitude. Ela certamente foi ajudada nisso por um bom senso de humor.

Ela viajou por todo o mundo – para a Índia e Japão, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, América do Sul, América do Norte e todos os países europeus, incluindo uma série de visitas ao Reino Unido. Em todas essas regiões e países ela realizou palestras, participou de conferências e procurou inspirar a renovação da medicina como uma atividade totalmente humana. Foi particularmente no campo do câncer que ela trabalhou, um campo em que as conquistas tecnológicas e os métodos da medicina moderna podem tão facilmente sobrecarregar o ser humano.

A extensão do tratamento do câncer com Iscador em todo o mundo é devido principalmente ao trabalho de Alexandre e Rita Leroi. Eles lançaram uma base sólida e são uma fonte de inspiração para aqueles que vieram depois.

 

Tradução: Iracema de Almeida Benevides

Texto original abaixo:

Rita Leroi

abmanacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *